ptenes

LAPSU

lapsu
 
 
O LAPSU – Laboratório de Pesquisas Avançadas em Psicanálise e Subjetividade, coordenado pelas Professoras Monah Winograd e Isabel Fortes, iniciou suas atividades no Departamento de Psicologia da PUC-Rio em 2016, reunindo ações coordenadas e convergentes de pesquisa, ensino e extensão que visam o avanço da produção de conhecimento em Psicanálise no Brasil, através do envolvimento da graduação e da pós-graduação (stricto e lato sensu). Nosso objetivo geral é o desenvolvimento de pesquisas avançadas que se debrucem sobre os desafios conceituais e clínicos enfrentados hoje pela Psicanálise.


I. OBJETIVOS E EIXOS DE PESQUISA

Nossos objetivos específicos envolvem, a partir de referências teóricas clássicas e contemporâneas plurais, a investigação de conceitos e questões teóricas, bem como a problematização da técnica como modo de fornecer subsídios e ferramentas específicos para os alunos. As pesquisas reunidas no LAPSU agrupam-se em torno de quatro eixos:

1. Trauma, repetição e pulsão de morte

Ao problematizar a questão do traumático, consideramos a diferenciação e o recobrimento parciais entre repetição diferencial e repetição do mesmo (repetição e compulsão à repetição) como expressão da pulsão de morte. Com o auxílio da literatura freudiana e pós-freudiana, investigamos as relações entre compulsão à repetição e pulsão de morte tanto em seu caráter desorganizador e mortífero, quanto em seu caráter estruturante. Para tanto, parece-nos absolutamente necessário destacar a função da pulsão de morte na constituição subjetiva, ou seja, o quanto os processos de vida só são viáveis pela integração das forças de morte, sem negligenciar seus efeitos psicopatológicos nos estados-limite, verificando sua incidência na clínica e discutindo o manejo técnico necessário.

2. Corpo e sintoma

A demarcação do estatuto do corpo em psicanálise nos conduz a refletir sobre a sintomatologia contemporânea, cujas manifestações culturais e clínicas têm o corpo como elemento central. Portanto, a pesquisa visa investigar e mapear conceitualmente o corpo erógeno, o corpo como totalidade que unifica o eu, os problemas quanto à formação da imagem corporal, a relação entre os registros do real, do simbólico e do imaginário e do vivo como imaginário, como também analisar o corpo fragmentado e suas incidências na clínica. Estes vários registros podem ser articulados para avançarmos em uma maior compreensão de algumas síndromes tais como anorexia nervosa, hipocondria, psicossomática, automutilação, dor física crônica, dentre outras.

3. Limite e constituição subjetiva

A partir do entendimento do limite em psicanálise, menos como representação figurada, e mais como processos de transformação de energia e de simbolização, ou seja, como força e significação, pesquisamos o problema das zonas intermediárias entre o interno e o externo, entre a pulsão e o pensamento, entre o soma e a psique, entre os sistemas ou as instâncias psíquicas, enfim, os problemas em torno à constituição das dimensões inter e intrassubjetivas. Neste contexto, diversas questões podem ser desdobradas, no centro da metapsicologia ou nas fronteiras da psicanálise com outros campos de saber.

4. Dor psíquica no campo do excesso pulsional

O tema da dor psíquica é investigado a partir dos eixos do princípio do prazer e do mais além deste princípio. A dor é vista como distinta do prazer e do desprazer, podendo ter como destinos pulsionais expressões psíquicas tanto do campo do mortífero quanto do erótico. Para esta análise, é fundamental seguirmos o ponto de vista econômico da metapsicologia, a fim de articular alguns paradoxos fundamentais entre a dor e o prazer, trabalhados a partir de noções importantes para a psicanálise como masoquismo, erotismo e excesso.

 
II. ATIVIDADES

Pesquisa
Encontros semanais dos subgrupos de pesquisa e reuniões mensais de toda a equipe com a presença de um pesquisador colaborador para discussão das investigações em curso.

Estágio em clínica psicanalítica
O LAPSU desenvolve ainda supervisão semanal de duas equipes de estagiários (graduandos).

Extensão
Pretende-se promover Cursos de Extensão sobre os temas centrais pesquisados no Laboratório.


III. EQUIPE

Coordenação:
Monah Winograd
Isabel Fortes

Graduados:
Constança Cassinelli
Geisa Assis

Alunos de iniciação científica:
Alan Paschoal Marques Antunes
Amanda Camille Richardson
André Carvalho
Célia Fátima Rodrigues Novais
Julia Chindler Silva
Julia Cardoso Camara
Luiza Charles Rodrigues
Maíza Hauat
Miguel Moraes Marques
Rafaella Coelho

Mestres:
Julia Aboim (PUC-Rio)

Mestrandos:
Alice Stepanyski
Andréa Glicberg
DeniseRodrigues Monnerat
Phillippe Balalai
Isadora Tostes
Mariana Salles Kehl

Doutorandos:
Clarice Medeiros
Flavia Hasky
Suéllen Pessanha Buchaúl
William Rezende

Pós-doutorandos:
Ana Bárbara Toledo de Andrade

Pesquisadores Colaboradores:
Claudia Amorim Garcia - Professora Associada Aposentada do Programa de Pós-graduação em Psicologia Clínica da PUC-Rio e membro efetivo do Círculo Psicanalítico do Rio de Janeiro (CPRJ).

Perla Klautau - Professora Adjunta do Programa de Pós-graduação em Psicanálise, Saúde e Sociedade da Universidade Veiga de Almeida, editora adjunta da revista Trivium e membro efetivo do Círculo Psicanalítico do Rio de Janeiro (CPRJ).

Regina Herzog - Professora Associada do Programa de Pós-Graduação em Teoria Psicanalítica do Instituto de Psicologia da UFRJ, bolsista de produtividade em pesquisa do CNPq e coordenadora do Núcleo de Estudos em Psicanálise e Clinica da Contemporaneidade/NEPPEC

Programa de Pós-Graduação em Psicologia da PUC-Rio

logo pucRua Marquês de São Vicente 225
Edifício Cardeal Leme, 2º Andar - Sala 201
Gávea, Rio de Janeiro, RJ
CEP: 22451-900

Telefone: +55 (21) 3527-1185

 

Mapa do Campus

mapa img

Busca